CENTRAL DE ATENDIMENTO

Dúvidas e perguntas frequentes


Clique em exibir as imagens para ver

Como é feita a radiografia digital?

Nas radiografias digitais, as imagens são adquiridas por aparelhos de raios X que, ao invés de utilizar filmes radiográficos, possuem uma placa de circuitos sensíveis aos raios X que gera uma imagem digital e a envia diretamente para o computador na forma de sinais elétricos.
Os sistemas de radiografias digitais oferecem a obtenção de imagens com maior qualidade e menor exposição do paciente à radiação, comparados com os sistemas analógicos.
No sistema de aquisição convencional as imprecisões em termos de exposição provocam normalmente o aparecimento de radiografias escuras, claras ou com pouco contraste, sendo melhoradas com técnicas digitais de processamento e exibição de imagem.


 

Clique em exibir as imagens para verQuais as vantagens das radiografias digitais?

  • Redução da dose de radiação à qual o paciente é exposto;
  • A imagem aparece em poucos segundos, o que possibilita um diagnóstico imediato;
  • Elimina-se o uso de substâncias químicas nocivas ao meio ambiente;
  • Recursos de software de auxilio ao diagnóstico, que facilitam a visualização e a precisão dos detalhes;
  • Envio de imagens para outros profissionais, por meio da Internet o que pode ser de grande valia em casos onde o paciente necessite de um atendimento de urgência;
  • Possibilidade de armazenamento das imagens por tempo indeterminado.


Clique em exibir as imagens para verPodem ser realizados exames radiográficos em pacientes gestantes?

A maioria dos exames de raios X com finalidade odontológica não expõe o feto a níveis elevados de radiação para que haja consequências negativas. Com o uso dos equipamentos de segurança como avental de chumbo, tempo curto de exposição e evitar a repetição de exames, o exame radiográfico deve ser feito quando bem indicado, em especial após o terceiro mês de gestação.

 



Clique em exibir as imagens para verQuanto de radiação o bebê recebe quando a gestante faz uma radiografia odontológica periapical?

A quantidade de radiação que um bebê recebe quando a mãe faz uma radiografia periapical é de apenas 0,01 milirad. Um rad equivale a 1.000 milirads, então alguém teria que fazer 100 mil raios-X dentários para que o bebê fosse exposto a 1 rad.
Estima-se que uma radiografia do tórax exponha o feto a 60 milirads, uma do abdome a 290 e uma tomografia a 800 milirads.
Para se ter uma ideia, durante os nove meses de gestação, um bebê é geralmente exposto a cerca de 100 milirads de radiação natural do Sol e da Terra.



Clique em exibir as imagens para verQual a importância da radiografia panorâmica na fase da dentição mista?

A radiografia panorâmica é um exame complementar importante na fase da dentição mista, pois ela permite visualizar o desenvolvimento intraósseo dos germes dentários permanentes e identificar anomalias dentárias de desenvolvimento, o que possibilita ao profissional analisar se a cronologia, a sequência e o local de erupção dos dentes permanentes estão corretos ou se há desvios no padrão normal.

 



Clique em exibir as imagens para verQual a importância da Tomografia na implantodontia?

  • Visualização em todos os ângulos do complexo maxilomandibular;
  • Realização de medidas ósseas, tanto em altura como em espessura;
  • Visualização ampla das estruturas anatômicas;
  • Necessidade de enxertos ósseos; 
  • Planejamento cirúrgico seguro, pois as mensurações realizadas correspondem à medida real, 1:1;
  • A partir das imagens Dicom pode ser realizada a Prototipagem;
  • Simulação da colocação de implantes por meio de software, antes que a cirurgia seja realizada;
  • Geração da imagem 3D.


Clique em exibir as imagens para verQuais são os exames radiográficos indicados no tratamento de rotina odontológica?

O cirurgião-dentista costuma solicitar radiografias intrabucais e extrabucais. Na maioria das especialidades utiliza-se a radiografia panorâmica por ser de fácil execução e pelo fato de que, em uma radiografia, visualizam-se as estruturas que compõem o complexo maxilomandibular, assim como estruturas anexas, como órbitas, seios maxilares, fossa nasal e articulações temporo-mandibulares.
 



Clique em exibir as imagens para verAlém do diagnóstico das lesões dentais, quais as outras indicações das radiografias panorâmicas?

Para auxiliar no diagnóstico de todas as lesões dos ossos da maxila e mandíbula. Através desse exame, pesquisam-se reabsorções ósseas e radiculares, cistos, tumores, fraturas, distúrbios da articulação temporomandibular (que causam dor na região de ouvido, face, pescoço e cabeça) e sinusite. É comum solicitá-la também como exame pré-operatório em cirurgias dos dentes e ossos.
 



Clique em exibir as imagens para verEm qual situação é indicada a realização da radiografia panorâmica em crianças?

A radiografia panorâmica tem amplas indicações na Odontopediatria, tanto na prevenção como no diagnóstico de distúrbios dentais.
O cirurgião-dentista pode fazer a prevenção dos dentes, examinando-os mesmo antes que eles erupcionem, podendo analisar sua localização, forma, angulação e a presença de dentes supranumerários (dentes que excedem o número normal) ou agenesia (falta do germe dentário) e assim prevenir ou atenuar futuros problemas estéticos e/ou relacionados à articulação.
O estudo dos ossos na procura por lesões intraósseas, como cistos e tumores, também faz parte de uma boa odontologia preventiva.



Clique em exibir as imagens para verAs radiografias oferecem algum risco aos pacientes?

Embora tenhamos certo risco radiobiológico no uso dos raios X, pesquisas científicas comprovaram que o risco associado ao uso das técnicas radiográficas intrabucais, das panorâmicas e das tomografias computadorizadas é menor do que o risco da radiação de fundo ambiental (radiação cósmica, radiação do solo, raios ultravioleta) a que estamos expostos.
As doses de radiação das radiografias usadas na Odontologia são extremamente pequenas. Mesmo assim, hoje dispomos de tecnologia para minimizar os possíveis danos oriundos das radiações ionizantes na rotina odontológica. Podemos citar o uso de aventais plumbíferos, sistema digital e aparelhos calibrados. De posse desses conhecimentos, podemos afirmar que os riscos são infinitamente menores que os benefícios oriundos da Radiologia e da Imaginologia, na prática da Odontologia Moderna.



Clique em exibir as imagens para verAs radiografias pertencem ao paciente ou ao cirurgião-dentista?

Os exames radiográficos odontológicos realizados são propriedade do paciente, podendo os mesmos ficar em poder do cirurgião-dentista durante o tratamento. Ao término do tratamento, quando o paciente solicitar a devolução dos exames, o profissional deverá concedê-la. Porém, se o paciente não fizer mais uso dos exames e permitir, estes poderão ficar no consultório do profissional ou ser descartados.

Fonte: Conselho Regional de Odontologia do Rio Grande do Sul - CRO/RS



Clique em exibir as imagens para verPode-se utilizar uma radiografia panorâmica ao invés de um exame periapical completo?

As radiografias panorâmicas são indicadas para uma visualização geral das estruturas maxilomandibulares, enquanto que as radiografias intrabucais evidenciam os detalhes dos dentes e das estruturas adjacentes.


 



Clique em exibir as imagens para verUm paciente que recebeu radiação para terapia do câncer deve fazer radiografias odontológicas?

Sim. Pessoas que receberam radiação para terapia do câncer na área da cabeça e pescoço são mais suscetíveis à infecção dentária. Portanto, as radiografias de diagnóstico dentário são especialmente importantes para esses pacientes com a finalidade de detectar e controlar a formação de cáries e infecção óssea. Na verdade esses pacientes devem ser radiografados com mais frequência do que os outros.

« Voltar